O Estatuto da Família Internacional

Quinta edição

Capítulo I: Propósito central

O propósito central (missão) da Família Internacional é

  • Divulgar as boas novas do amor de Deus, Sua verdade e a salvação. Manifestar Seu amor em ações de forma a trazer um toque do divino à vida de alguém e ajudar as pessoas a criarem um relacionamento pessoal com Jesus.
  • Procurar melhorar a qualidade de vida espiritual das pessoas. Compartilhar a Palavra de Deus e Suas verdades para enriquecer a vida dos outros. Aplicar princípios espirituais para ajudar a atender às necessidades espirituais ou físicas dos demais.
  • Proporcionar um ambiente que alimente a fé. Apoiar e ajudar cada pessoa a crescer em seu relacionamento com Jesus e em seus esforços para dividir Seu amor e verdade com os demais, de acordo com a vocação pessoal de cada um.

Capítulo II: Filiação

Artigo 1º

A combinação das crenças centrais, dos valores centrais e do propósito central forma os princípios norteadores que orientam, inspiram A Família Internacional (AFI) enquanto organização e os indivíduos que a integram. Esses princípios norteadores representam a motivação dos membros no que diz respeito à pratica de sua fé e à sua dedicação a Deus, em resposta ao chamado para cumprir a Grande Incumbência. Esses princípios dão aos membros a inspiração e a confiança para que materializem seus sonhos e projetos para a realização da vontade de Deus para suas vidas, independentemente dos caminhos ou carreiras que ela os leve a trilhar; para que cresçam na fé cristã, no discipulado ou no serviço missionário; para que encontrem meios efetivos para participar e contribuir na missão da Família Internacional.

Artigo 2º

Um novo membro da Família Internacional:

  1. Recebeu Jesus Cristo como Salvador pessoal.
  2. Tem pelo menos 18 anos de idade.
    1. Alguém com 16 ou 17 anos que deseje ser membro da Família Internacional precisará do consentimento de seu pai ou de sua mãe.
  3. Concluiu o Procedimento I: Novos Membros, descrito em “Procedimentos da Família Internacional”.

Artigo 3º

A Família Internacional se reserva o direito de negar filiação a um indivíduo cujas atividades sejam incompatíveis com a filiação na Família, ou considerado não qualificado para ser um membro da Família Internacional.

Artigo 4º

Deveres do membro da Família Internacional:

  1. Aceitar as crenças coletivas que definem a fé da Família Internacional, conforme descritas em “Declaração de Crenças da Família Internacional” e se esforçar para crescer no entendimento dessa doutrina.
  2. Orientar sua vida pelos princípios expressos nos “Valores Centrais da Família Internacional”.
  3. Cultivar um relacionamento pessoal com Deus pela leitura da Sua Palavra, pela comunhão pessoal com Jesus e pela oração.
  4. Conduzir-se de forma ética e íntegra em suas relações pessoais e em sua vida profissional, e não participar de atividades que reflitam negativamente na Família Internacional ou na sua missão.
  5. Participar diretamente da missão da Família Internacional ou de outra forma a facilitar.
  6. Dar mensalmente o dízimo de sua receita, ou outro valor em dinheiro para a Família Internacional ou para outro membro que dê o dízimo para a Família Internacional.
  7. Fazer relatório mensal, individualmente ou por intermédio de outro membro, que assim concorde fazer.

Artigo 5º

  1. Um membro da Família Internacional que seja pai ou mãe tem a responsabilidade de amar seus filhos, zelar por eles, educá-los segundo os preceitos divinos, transmitir-lhes o conhecimento de Deus, fazer tudo ao seu alcance para atender às suas necessidades físicas, educacionais, espirituais, médicas e emocionais; e protegê-las de toda e qualquer forma de maus-tratos, inclusive física, sexual ou emocional.
  2. O bem-estar e a proteção das crianças são de importância vital para a Família Internacional. Espera-se de todos os seus membros que observem as normas descritas em “Política de Proteção ao Menor da Família Internacional”.

Artigo 6º

Um membro da Família Internacional tem o direito à escolha pessoal, à autodeterminação e a se expressar em todos os assuntos, inclusive no que diz respeito à sua participação da missão, à facilitação da mesma e à maneira como pratica sua fé.

Artigo 7º

  1. Um membro AFI deve obter o consentimento prévio do escritório internacional de relações públicas da Família Internacional para firmar qualquer tipo de acordo legal em nome da Família Internacional, ou para, em nome da Família Internacional, participar de qualquer entrevista que tenha exposição nacional ou internacional, documentário, site da Internet, foro de discussão, filme, livro, emitir contestação escrita ou verbal, comunicado à imprensa, ou publicar artigo.
  2. Um membro da Família Internacional precisa de autorização prévia do escritório internacional de relações públicas para divulgar online ou distribuir para o público produções da Família Internacional não designadas para o público geral.

Artigo 8º

O membro da Família Internacional está sujeito às leis do país no qual reside.

Artigo 9º

O membro da Família Internacional pode ter sua filiação cassada, conforme o previsto em “Procedimento III: Cassação de Filiação” em “Procedimentos da Família Internacional”, em caso de:

  1. recorrente não cumprimento das responsabilidades estabelecidas para os membros da Família Internacional, descritas nos Artigos 4º e 5º.
  2. conduta ou atividade que prejudique os trabalhos de membros da Família Internacional ou suas comunidades, ou a missão geral da Família Internacional.

Artigo 10º

Um membro da Família Internacional será irrevogavelmente excomungado, isto é, expulso do círculo de membros da Família, conforme o previsto em “Procedimento IV: Excomunhão” em “Procedimentos da Família Internacional”, em caso de:

  1. maus-tratos sexuais ou físicos contra criança.
  2. crime grave ou ato violento que ponha em risco a vida.
  3. atividades que promovam facciosismo com a intenção de minar ou prejudicar a Família Internacional.
    1. No caso de atos facciosistas de menor gravidade, o infrator poderá ter sua filiação cassada, conforme prevê o Artigo 9º.2.
  4. Menores de 18 anos culpados de maus-tratos sexuais ou físicos contra uma criança ficam permanentemente impossibilitados de se filiarem à Família Internacional.

Capítulo III: Governança

Artigo 1º

Maria Fontaine e Peter Amsterdam são os diretores espirituais e administrativos de AFI. Nessa capacidade, têm a responsabilidade de:

  1. Determinar os serviços oferecidos no contexto da estrutura organizacional da Família Internacional.
  2. Definir, constituir, ou extinguir, conforme necessário, organismos ou órgãos administrativos, conselhos, departamentos e posições de Serviços AFI.
  3. Constituir um conselho para arbitrar questões relacionadas à filiação e às ações disciplinares que possam ser aplicadas em caso de má conduta de um membro.

Artigo 2º

Os Serviços AFI administrarão os dízimos e as ofertas enviados para a Família Internacional para financiar as publicações, os serviços e a estrutura da Família Internacional; projetos ou investimentos na promoção da missão da Família Internacional; e auxiliar os projetos da missão e os membros AFI.

Capítulo IV: Obras de Missão de Membros AFI

A Família Internacional (AFI) é uma comunidade cristã dedicada a disseminar a mensagem do amor de Deus em todo o mundo. Buscamos levar esperança e renovação espiritual por meio do amor incondicional de Jesus Cristo, para o qual não existem fronteiras nem os limites de raça, credo ou condição social. Nossos esforços são voltados para fazer uma diferença no mundo, oferecendo soluções espirituais para os desafios da vida e traduzindo o amor de Deus em ações que manifestem bondade, compaixão e melhorem a vida das pessoas.

Artigo 1º

Os membros AFI são incentivados a participar de atividades relevantes à missão, denominadas neste documento Obras de Missão. A obra de missão de um membro AFI é um projeto, atividade de missão, congregação, associação ou organização, constituída, fundada e/ou administrada por um membro da Família Internacional. 

Artigo 2º

Uma obra de missão de um membro AFI:

  1. Mantém um nível de profissionalismo condizente com o previsto em “Padrão Profissional para as Obras dos Membros AFI”.
  2. Esforçar-se para manter-se alinhada aos valores centrais e declaração de missão da Família Internacional.

Artigo 3º

Se as atividades de missão de um membro AFI caracterizarem uma contravenção sob o Estatuto da Família Internacional, este membro estará passível de ter sua filiação cassada, conforme o previsto em Procedimento III: Cassação de Filiação em “Procedimentos da Família Internacional”.

Adendo

Artigo 1º

Os documentos oficiais que definem as políticas e/ou a governança da Família Internacional, os quais suplementam e subsidiam o Estatuto da Família Internacional, ou de outra forma se relacionam ao Estatuto da Família Internacional são:

Artigo 2º

O Estatuto da Família Internacional, 5ª edição, e os documentos a ele relacionados entram em vigor em agosto de 2014.

© 1995, 1995, 1998, 2009, 2010, 2014 por A Família Internacional.

Todos os direitos reservados. A reprodução integral ou parcial deste documento só poderá ser realizada com a permissão expressa de A Família Internacional.

The Family International